Blog Megaleios

Saiba tudo que acontece no mundo da tecnologia

Novidades do mercado digital, atualizações importantes sobre desenvolvimento de aplicativos, soluções da web e muito mais! Aqui você fica sempre bem informado. Confira os últimos posts publicados no blog da Mega!

Avalie este post

Os wearables são todos aqueles dispositivos tecnológicos que podem ser vestidos ou usados como acessório. Os mais populares hoje são os smartwatches e smartbands, que possuem apps de monitoramento de saúde como recursos principais. Mas será que vale a pena investir em aplicativos para wearables?

Bom, sabemos que essa tecnologia está se tornando cada vez mais conhecida. Além disso, é uma grande aliada da telemedicina. Mas não é só isso!

Os wearables têm várias utilidades que vamos conhecer agora.

Continue lendo e avalie se é viável que você invista em aplicativos wearables.

Afinal, o que são wearables?

Embora já tenhamos comentado no início do post, e o próprio termo já indique o que são, nós não contamos os detalhes.

Os wearables então incorporam desde jaquetas inteligentes até colares e relógios.

Essa tecnologia, além de ser vestida, precisa ter características que conectem a outros dispositivos ou à internet.

A última geração acompanha aplicativos para wearables que auxiliam na organização, incentivam à prática de exercícios físicos, etc.

Para que servem os wearables e como funcionam?

Não se trata apenas de saúde.

Sabemos que existem muitos smartwatches que focam nos exercícios físicos e no monitoramento da saúde, como o Galaxy Active 2.

Porém, existem outras funcionalidades para esses dispositivos.

As smartbands da chinesa Xaomi foram preparadas para realizarem pagamento por aproximação e funcionarem como chave para portas inteligentes.

Os pagamentos por aproximação são feitos graças à tecnologia NFC.

As operações por NFC ou Near Field Communication (Comunicação por Campo de Proximidade) são conhecidas como os pagamentos online ou divulgações por meio de QRCodes. Essa tecnologia permite a troca de informações entre dispositivos somente com uma aproximação entre eles. Pela facilidade e comodidade em realizar transações, estima-se que esse recurso se dissemine cada vez mais.

No Brasil, temos a ATAR band, que também funciona por NFC e para fechaduras digitais.

Vemos também uma infinidade de aplicativos para wearables que auxiliam a acompanhar as notificações, ligações do celular, nível de oxigênio no sangue, calorias, previsão do tempo, GPS, lembretes, etc.

Ou seja, podemos afirmar que os wearables são multitarefas!

E não podemos esquecer da quebra de paradigmas. Afinal, eles chegaram para alterar as práticas de esportes, a realização de pagamentos, e até a maneire como dormimos.

Tudo isso funciona por meio dos seus eixos de sensores, que permitem várias atividades.

Dentre elas estão o monitoramento de sono e frequência cardíaca, por exemplo. Além disso, é possível contar os passos, receber notificações de sedentarismo, entre outros.

Nestes últimos casos, é o acelerômetro que entra em ação. Esse sensor mede o nível de oscilação e fornece as análises. Logo, percebe quando damos um passo.

No monitoramento de sono, aplica-se a mesma lógica, mas por meio de outros sensores.

A frequência cardíaca também influencia na análise, considerando que os sensores percebem a baixa no metabolismo, e consequentemente, os níveis de adormecimento.

Podemos dizer assim, que os wearables possuem muitas funcionalidades!

Quais os benefícios dos aplicativos para wearables?

Todos os aplicativos para wearables têm um propósito geral: garantir praticidade e otimizar desempenhos.

Os atletas, por exemplo, utilizam muito as pulseiras ou relógios para monitorar o desempenho e maximizar os seus resultados.

Já no caso dos óculos de realidade aumentada, é possível modificar totalmente a experiência de jogos e filmes.

Resumindo, não importa qual a área de atuação, os wearables têm a capacidade de proporcionar experiências inéditas.

Está gostando do nosso conteúdo? Se a resposta for sim, que tal assinar a nossa newsletter para ficar por dentro das novidades no mercado?

Dispositivos wearables disponíveis no mercado

Agora que você já sabe o que são esses dispositivos, vamos conhecer os mais populares do mercado.

Relógios

Atualmente, os mais populares são os smartwatches, ou relógios inteligentes.

Um dos pioneiros no mercado foi a Sony, que lançou em 2013 o seu SmartWatch.

Mais tarde, em 2015, a Apple colocou no mercado o Apple Watch, que funciona integrado ao iPhone. Esse dispositivo, além de mostrar a hora, possui aplicativos para wearables que controlam o batimento cardíaco, playlist de músicas e obedecem à comandos de voz.

Hoje já nos deparamos com diversas marcas que lançaram os seus relógios inteligentes.

Pulseiras

As smartbands também estão entre as mais populares entre os consumidores.

A tecnologia empregada nas pulseiras também permite o monitoramento de batimentos cardíacos e movimentos. Além disso, consegue informar o consumo de calorias, qualidade do sono, etc.

Essas pulseiras inteligentes são integradas com os smartphones e com a nuvem. Isso permite que você acesse os dados em qualquer lugar.

Dentre as mais populares estão a FitBit, a Mi Band e a Samsung Gear Fit.

Óculos

O pioneiro no desenvolvimento de óculos inteligentes foi o Google.

O Google Glass começou a ser desenvolvido em 2006, e em 2012, foi lançado ao público.

Esse dispositivo tem como função fornecer informações úteis na visão do usuário. Imagine, por exemplo, ter na sua visão as direções que você precisa seguir para chegar em algum lugar. É essa a ideia dos óculos inteligentes, que é conhecida como realidade aumentada.

Outro conceito bastante utilizado é o de realidade virtual.

A tecnologia permite que o usuário se veja em outra realidade (virtual), como se estivesse em outro mundo.

Tanto a realidade aumentada (AR), quanto a realidade virtual (VR) podem ser grandes aliadas das empresas.

Afinal, utilizar novas maneiras de entregar produtos e serviços aos seus consumidores é algo muito importante na transformação digital.

Você pode optar pela VR para enganar os sentidos de um usuário. Através da indução de efeitos visuais, sons e táteis esse tipo de realidade permite que o usuário esteja totalmente imerso.

Ou ainda, investir na AR, que permite aos usuários integrar elementos virtuais em seu ambiente real.

As duas tecnologias são ótimas para a transformação digital dos negócios.

Os wearables influenciam na moda?

Se pensarmos que esses dispositivos são utilizados como acessórios, veremos que eles exercem influência na moda.

Isso pode ser visto principalmente nos smartwatches esportivos, como o Apple Watch Series 4 Nike+.

Já na Samsung, investiu na moda de outras maneiras. O Galaxy Active 2 oferece um recurso no qual o usuário tira uma foto da sua roupa e recebe um wallpaper que combine com as cores do seu vestuário.

Outras tecnologias interessantes, são uma camiseta que mede a frequência cardíaca e um vestido com luzes de Led que altera a cor conforme as reações nas redes sociais.

Observamos assim, que a moda está cada vez mais próxima das tecnologias wearables.

Evolução tecnológica

Todos esses produtos e aplicativos para wearables são fruto de uma evolução tecnológica oriunda da miniaturização dos dispositivos eletrônicos.

Além disso, a geolococalização e os softwares de administração de dados também contribuíram.

A tecnologia wearable representa, assim, uma nova fase da indústria de dispositivos móveis.

Se a primeira fase se relacionava mais com a comunicação pessoal, agora se volta para um ambiente mais pessoal.

Os wearables são dispositivos IoT?

É difícil afirmar com certeza que os wearables são dispositivos IoT (Internet das Coisas).

Mas uma coisa é certa: eles surgiram da transformação digital e da criação de dispositivos IoT.

Como não são todos que possuem conexão com a internet, não é possível afirmar que são IoT.

O que é a Internet das Coisas?

No sentido mais amplo, o termo IoT engloba tudo que está conectado à internet. Mas o termo é cada vez mais usado para definir objetos que “falam” uns com os outros.

A internet das coisas é um conceito de computação que descreve a ideia de objetos físicos do dia-a-dia conectados à internet e sendo capazes de se identificar com outros dispositivos.

O termo é estreitamente identificado com o RFID como método de comunicação (identificação por radiofrequência). Entretanto, também pode incluir outras tecnologias de sensores, tecnologias sem fio ou códigos QR.

A Internet das Coisas é significativa por diversos motivos. Em especial porque um objeto pode ser representado digitalmente e se torna algo maior que o objeto por si só. O objeto não se relaciona apenas com o usuário, mas agora está conectado a objetos próximos e dados de banco de dados.

A verdade é que a Internet das Coisas possibilita inúmeras oportunidades e conexões, muitas das quais não conseguimos imaginar nem entender completamente seu impacto nos dias de hoje.

Os dispositivos vestíveis, como relógios inteligentes, acessórios com sensores, e fones de ouvido para monitoramento de exercício se tornam populares. Estes objetos são clássicos exemplos de dispositivos conectados que integram a Internet das coisas.

A IoT é um conceito difícil de definir com precisão. De fato, há muitos grupos diferentes que definiram o termo, mas é atribuído a Kevin Ashton, especialista em inovação digital.

Por que investir em aplicativos para wearables?

No ano passado tivemos mais de 8 lançamentos de relógios e pulseiras inteligentes no Brasil.

Dentre eles estão os dispositivos de marcas conhecidas como Apple, Samsung e Xaomi.

Assim, podemos concluir dois pontos importantes:

  • As pessoas estão muito interessadas em wearables;
  • O mercado está atento à essa tendência e suprindo as demandas.

Dados da Market Research Future, indicam que os wearables cresçam cerca de 46% até 2020.

Sendo assim, é visível que há uma grande oportunidade para desenvolver aplicativos para wearables!

São diversas as possibilidades de aplicativos que atendam as demandas dos dispositivos vestíveis. Fique atento ao mercado.

Dicas de aplicativos para wearables

Para te ajudar a pensar melhor nas possibilidades dos aplicativos para wearables, separamos algumas dicas de apps para os smartwatches. Confira a seguir.

Muzei

Esse aplicativo é um papel de parede que coloca obras de arte na tela principal do relógio.

Além disso, com o Muzei é possível alterar a posição, borrar ou escurecer a obra de arte.

Para realizar as alterações, basta clicar duas vezes na tela e abrir o aplicativo.

Perfeito para os amantes da arte!

Google Keep

O app Google Keep permite que você anote suas ideias e lembre delas quando quiser.

Você pode fazer listas por meio do comando de voz em qualquer lugar. Há a possibilidade ainda de tirar uma foto de um recibo ou documento e localizá-lo com facilidade posteriormente.

Esse é um dos aplicativos para wearables ideal para quem não quer perder nenhuma de suas ideias.

12 minutos

Por meio do smartwatch, como 12 minutos, você cria microbooks e resumos de áudios de livros de não ficção.

Depois, consegue ouvir os resumos e ter acesso às funções do app dentro do smartphone.

Strava

O Strava já é muito conhecido pelos amantes da corrida, pedalada e das aventuras ao ar livre.

O aplicativo oferece um registro das atividades e uma comparação do desempenho no decorrer do tempo.

É possível também conectar-se as pessoas que estão com você e compartilhar fotos, histórias e destaques das aventuras.

Depois de conhecer essas ideias de aplicativos para wearables, que tal desenvolver o seu?

O mundo mobile está cada vez mais em alta e oferece uma ótima oportunidade de ganhar dinheiro. Por esse motivo esse é o momento ideal de desenvolver seu aplicativo.

Depois de acompanhar essas ideias de aplicativos para wearables, está na hora de escolher a empresa certa para te ajudar nesse plano.

A Megaleios é uma empresa especializada e apaixonada por tecnologia que oferece um acompanhamento em todas as etapas do processo de desenvolvimento.

Conheça nosso portfólio e entre em contato.

Temos certeza que nossa parceria será um importante passo rumo ao sucesso do seu aplicativo!