Blog Megaleios

Saiba tudo que acontece no mundo da tecnologia

Novidades do mercado digital, atualizações importantes sobre desenvolvimento de aplicativos, soluções da web e muito mais! Aqui você fica sempre bem informado. Confira os últimos posts publicados no blog da Mega!

Segunda tela: tudo sobre esse fenômeno de interação
Avalie este post

Vivemos em um mundo onde as tecnologias ganham cada vez mais espaço. As inovações tecnológicas vem se transformando em nossas aliadas em diversas tarefas que executamos no dia a dia. Podemos dizer que vivemos em um mundo de telas. Televisão, computadores e celulares são equipamentos que nos cercam diariamente. Diante dessa nova forma de consumir informações, produtos serviços surgem um conceito bastante discutido atualmente: a segunda tela.

Quando falamos do fenômeno da segunda tela, estamos fazendo referência as telas tão presentes em nossas vidas. Atualmente, o consumo de informações do usuário deixou de ser realizado apenas em uma tela e vem ocorrendo em múltiplas plataformas. Essa nova realidade é possível graças ao fenômeno da convergência, onde um dispositivo completa o outro.

Esse comportamento vem sendo observado ao longo dos anos, e de acordo com pesquisas disponibilizadas, estima-se que quase metade dos brasileiros faz uso de uma segunda tela enquanto assiste TV, por exemplo. Esse hábito de consumir TV e outro dispositivo ao mesmo tempo gera um grande impacto no comportamento dos consumidores.

A influência da segunda tela no comportamento dos usuários pode ser bastante significativa. Dados apontam que quase 30% das pessoas que estão conectadas a dispositivos mobile são influenciados pela rede. Essa influência pode ser em relação ao que assistir, o que comprar e por onde navegar.

Vamos entender agora sobre o conceito de segunda tela. O que é, como surgiu e como afeta o comportamento e a interação das marcas e dos consumidores.

Afinal, o que é a segunda tela?

A história da segunda tela tem relação direta com a história da TV. A televisão pode ser considerada como a primeira tela que terá seu consumo complementado pelos dispositivos móveis.

Em termos teóricos, a segunda tela é um dispositivo adicional que permite ao usuário interagir com o conteúdo que está consumindo. A lógica é a seguinte: a segunda tela será responsável por garantir uma experiência de engajamento do usuário. É através da segunda tela que o telespectador interage com a programação da TV, como filmes, músicas e jogos.

Dessa forma, podemos dizer que a segunda tela vai além um dispositivo eletrônico adicional que possibilita a interação. A segunda tela é útil para obter informações sobre a programação ou tirar dúvidas em relação ao que é exibido.

Este fenômeno da interação vem ganhando cada vez mais espaço. É bastante comum que as pessoas acompanhem a programação da TV em aplicativos mobile como Twitter e Facebook, por exemplo.

Os dados sobre a segunda tela, ou second screen no inglês, comprovam a dimensão desse fenômeno. Estima-se que 30 milhões de brasileiros façam uso de pelo menos 3 telas diariamente: TV, computador e smartphone. Além disso, os dados apontam que quase 70% da exposição à mídia é por meio de telas (TV, PC e celulares).

Outro dado relevante sobre esse fenômeno é que mais de metade dos brasileiros assiste TV e acessa a internet ao mesmo tempo. Desses usuários, estima-se que 60% usa a TV como primeira tela e o celular como segunda tela.

Os deslocamentos entre as telas pode ocorrer de duas formas: de forma simultânea ou sequencial. Vamos entender a diferença entre eles agora.

Os tipos de interação da segunda tela

A interação da TV com as demais telas fez com que a televisão se tornasse mais interativa e integrada com as demais tecnologias. A interação dos usuários com a segunda tela é um fenômeno que pode acontecer de duas formas diferentes: sequencialmente ou simultaneamente. Mas qual seria a diferença entre elas?

  • Interação Sequencial

A forma sequencial de uso da segunda tela é a mais utilizada pelos telespectadores. Estima-se que 90% dos usuários façam uso desse tipo de interação, segundo a pesquisa do Google.

A interação sequencial acontece quando há movimento de um dispositivo para outro em diferentes momentos. Outra característica é que quando essa interação é feita sequencialmente deve ser para realizar uma tarefa relacionada ao conteúdo assistido na TV.

Por exemplo, um telespectador está assistindo sua TV e tem acesso a um anúncio sobre uma loja ou um serviço do seu interesse. Em sequência ao acesso a informação o mesmo se direciona a uma segunda tela, como o celular, e faz o download do aplicativo dessa loja.

Dessa forma, a principal característica da interação sequencial é a ordem com que o acesso a segunda tela acontece. Esse acesso deve ser feito posteriormente e relacionado com a mesma tarefa.

  • Interação Simultânea

De forma oposta ao que acontece na interação sequencial, a simultânea é caracterizada pelo uso de uma segunda tela em junção com o acesso a televisão.

A segunda tela mais utilizada nesse modelo de interação são os smartphones. Os celulares são tão utilizados como segunda tela que segundo pesquisas, 57% do tempo em que estamos utilizando-os estamos também fazendo uso de outros dispositivos.

Esse tipo de uso é aquele que acontece ao mesmo tempo, sem que exista espaço de tempo entre as interações. Por exemplo, estamos assistindo TV e ao mesmo tempo estamos publicando algum assunto que está sendo transmitido.

Como os dispositivos mobile impactam no fenômeno da segunda tela?

O fenômeno da segunda tela está intimamente ligado a grande expansão observada no mundo mobile. Isto porque os celulares passaram a ser a principal forma de interação dos telespectadores com outras telas.

Uma das ferramentas mobile que ajudaram na popularização das segundas telas foram os aplicativos. Os aplicativos se tornaram essenciais pela simplicidade e maneiras inusitadas de interação. Eles são responsáveis por oferecer formas criativas de resolver situações problema dos usuários.

Outra ferramenta fundamental para o sucesso da segunda tela foram as redes sociais. Essas plataformas se tornaram o principal meio de interação entre usuários. Além disso, é através das redes sociais que grande parte dos telespectadores se manifestam e opinam sobre conteúdos assistidos na TV.

Outro dispositivo mobile importante na proliferação do uso da segunda tela foram as Smart Tv’s. Com elas, os telespectadores passaram a ter acesso a internet sem que seja necessário outro dispositivo. Essa praticidade faz com que a interatividade seja facilitada e ganhe cada vez mais espaço.

Entretanto, podemos dizer que os smartphones e tablets foram os principais responsáveis pela popularização da segunda tela. Esses dispositivos associados ao sucesso das internet móvel e das redes sociais mudaram a interação dos usuários. Com os celulares a troca e a busca por informações é feita instantaneamente através da web e de aplicativos.

Por esses motivos dizemos que o mundo mobile permitiu que a interação dos telespectadores com a TV rompesse os padrões tradicionais. Se antes essa interação era feita apenas no sofá, hoje pode ser feita em qualquer lugar.

O fenômeno da segunda tela e o marketing digital

Atualmente os profissionais de marketing digital enfrentam um desafio de engajamento do consumidor com várias telas. Se vários dispositivos são usados ​​simultaneamente ou sequencialmente, as pessoas os utilizam para serem mais produtivas e ter acesso a novas informações.

O marketing de segunda tela, ou de tela múltipla é uma forma de marketing digital que visa envolver um consumidor com várias telas. Por vezes é necessário também conseguir envolver os usuários de forma simultânea.

Nesse aspecto, o marketing deve se atentar ao comportamento de compra impulsionado pela visualização de TV. Sendo necessário capturar e manter a atenção do consumidor.

Para obter sucesso no marketing de segunda tela, é preciso estar atento ao comportamento dos usuários. As informações obtidas através da análise do público e seu modo de interação é essencial para obter sucesso no mundo multi-telas. Vamos conhecer agora algumas dicas para ajudar nesse tipo de marketing.

  • Saber escolher a mídia certa

A estratégia de marketing de segunda tela deve considerar como os consumidores percebem a publicidade e cada tela. Por isso, o anúncio deve ser produzido e vinculado de acordo a mídia. Cada uma das mídias é percebida pelos usuários de uma forma. Assim, é preciso estar atento ao sentimento que procura despertar no consumidor para depois escolher em qual tela anunciar.

  • Reconhecer o comportamento do usuário

Como vimos, existem formas diferente de interação do usuário com as telas. O uso simultâneo da segunda tela, por exemplo indica que os usuários se dedicam a olhar vários conteúdos. Normalmente esse comportamento é moldado por hábitos e comportamento de distração.

Já o uso sequencial indica que uma atividade é iniciada em um dispositivo e concluída em outro. Os usuários com comportamento simultâneo buscam aumentar sua produtividade e optam mudar para um dispositivo que melhor atenda suas necessidades.

A diferença de comportamento em cada uma das forma de interação com a segunda tela exige atenção. É preciso entender as motivações por trás de cada comportamento e criar seu conteúdo de acordo.

  • Ajustar o conteúdo para cada tela

Entender o modo como os usuários interagem com cada tipo de segunda tela permite que o conteúdo seja melhor ajustado. É possível personalizar o conteúdo para cada tela e assim melhorar a experiência do usuário.

O conteúdo exibido nos smartphones e nos computadores, por exemplo devem seguir o direcionamento da motivação dos usuários. Cada um dos dispositivos é percebido de uma forma pelos consumidores. E ao analisar como as pessoas percebem os dispositivos digitais em geral, fica mais fácil aumentar o envolvimento do usuário. Um maior envolvimento promove para a marca ou produto melhores resultados e mais engajamento.

  • Conectar os consumidores por meio de um aplicativo

A transição da TV para a segunda tela deve ser o mais fluída possível. E essa transição para a segunda tela é otimizada por meios dos aplicativos móveis.

A transição da TV para os canais de compras feita através de aplicativos permite que os usuários possam comprar itens que veem na TV. Este é um ótimo exemplo de como a experiência do usuário é iniciada em um dispositivo e concluída em outro.

  • Ficar de olho no alcance

A capacidade de medir o alcance do marketing de segunda tela é proporcional ao sucesso que essa interação vai obter.

Atualmente existem ferramentas que permitem medir a quantidade de atividade que programas de TV geram no Twitter, por exemplo.  A conexão entre a audiência e o alcance da mídia social é uma ótima forma de medir o alcance do marketing. Afinal, lidamos com um cenário onde as redes sociais são o principal meio de interação dos usuários.

  • Saber monetizar o tráfego da segunda tela

No marketing de segunda tela é preciso encontrar sempre novos meios de envolver o público. Por esse motivo a segunda tela pode ser tornar uma nova oportunidade de ganhar dinheiro.

Pesquisas apontam que 29% dos jovens de 25 a 34 anos fazem compras em seus smartphones enquanto assistem TV. E para conseguir transformar uma interação na segunda tela em vendas é preciso criar uma experiência que seja extremamente conveniente. Essa experiência deve ser planejada para que um usuário de segunda tela compre simultaneamente online com um aplicativo ou navegador.

  • Investir em uma interação cada vez mais profunda

Não adianta investir no mundo da segunda tela e não garantir que a interação com o usuário será duradoura. As pessoas procuram experiências prolongadas na segunda tela, por isso é preciso estimular uma interação cada vez mais profunda.

Desta forma, quando falamos em segunda tela não estamos falando apenas em novas formas de interação. É preciso garantir um ambiente de engajamento que mantenha o usuário interativo por muito tempo.

O que podemos concluir sobre a segunda tela

A segunda tela transformou a forma de interação do usuário. Se antes bastava investir em anúncios e publicidade realizados na TV, atualmente é preciso estar atento as demais telas.

O marketing de segunda tela é uma nova oportunidade para as marcas e produtos. Mas esse fenômeno exige que seja feita uma estratégia dedicada a esse tipo de interação.

Se torna essencial analisar cuidadosamente seu público e entender como os usuários estão interagindo com a segunda tela. Esse cuidado garante que será desenvolvida uma estratégia para tornar os usuários cada vez mais interativos e engajados.

Mas todo esforço para garantir um marketing de segunda tela de sucesso é recompensado. Afinal, com o fenômeno da segunda tela é possível que a interação rompa barreiras, pois permite que o conteúdo seja consumido a qualquer hora em qualquer lugar.