Blog Megaleios

Saiba tudo que acontece no mundo da tecnologia

Novidades do mercado digital, atualizações importantes sobre desenvolvimento de aplicativos, soluções da web e muito mais! Aqui você fica sempre bem informado. Confira os últimos posts publicados no blog da Mega!

Como funciona um Gateway de pagamento
5 (100%) 2 vote[s]

Se você tem vontade de ter uma loja online ou um mobile commerce, vai precisar receber pelos produtos vendidos, não é mesmo? Para isso, você precisa de uma ferramenta, ou aplicação específica, que pode ser o Gateway de Pagamento. Hoje, vamos te explicar um pouco sobre  como funciona um gateway de pagamento, e como ele pode te ajudar.

O gateway de pagamento é uma aplicação para e-commerces que fica instalada em um servidor remoto e é mantida por meio de uma uma operadora financeira. Essa é a responsável por autorizar ou não os pagamentos realizados online. Nesse artigo, além de você aprender como funciona um gateway de pagamento, vai também aprender a identificar o melhor para o seu negócio.

Mas cntes, vamos entender melhor como funciona um gateway de pagamento?

Para um e-commerce, o gateway de pagamento poderia ser comparado àquele balcão de  análise de crédito e pagamentos com cartão que você encontra em muitas lojas físicas  por aí. Ele deve aceitar todas as bandeiras de cartões e formas de pagamento disponíveis. Para o e-commerce, todo o processo acontece no próprio site da loja, sem necessariamente redirecionar o cliente para outro site. Muito mais prático para efetuar a transação de pagamento, né?

Confira esse infográfico feito pela empresa Vindi, especializada em pagamentos:

Como funciona um Gateway de pagamento. Fonte: Vindi

Além de prático, é muito seguro! O gateway de pagamento protege as  informações dos cartões de crédito usados para o pagamento online. Ele também mantém seguros os outros dados sensíveis. Isso porque usa a criptografia de dados para garantir que todas as informações possam trafegar de forma segura no caminho entre cliente, vendedor e instituição financeira.

Como funciona um gateway de pagamento: Diferenças entre Adquirentes, Subadquirentes, Intermediadores e gateways

Para começar, não poderíamos deixar de mencionar que o mercado de pagamentos on-line no Brasil vem crescendo vigorosamente e muitas empresas nacionais fornecem esse tipo de serviço. Embora “invisíveis” para o empreendedor, os sistemas de pagamento podem causar problemas caso não sejam bem executados.

O mesmo ocorre no que diz respeito às nomenclaturas técnicas, já que muitos ainda se confundem em relação a elas. O ponto a destacar, nesse caso, é que existem duas opções para processar o pagamento, ou seja, cobrar e receber o dinheiro: adquirentes e subadquirentes. E os intermediadores e gateways?

Bem, para facilitar o seu entendimento, é necessário abordarmos esses termos de forma individual.

Empresas Adquirentes ou Credenciadoras

As empresas adquirentes são aquelas responsáveis por quitar as transações. Ou seja, elas analisam e capturam o pagamento e então devolvem o valor da compra à loja.

Assim, quando a transação é aprovada, a empresa de cartão de crédito, por exemplo, transmite a autorização de pagamento para o adquirente.

As empresas adquirentes são conhecidas também como credenciadora. Isso porque atuam como um membro licenciado das bandeiras de cartão de crédito e débito e processam suas transações.Para entender melhor como funciona um gateway de pagamento pelas empresas adquirentes, veja só. Após a transação aprovada, o lojista deve receber o pagamento em cerca de 30 dias. No caso de parcelamento, ele recebe à vista ou de acordo com as parcelas. Isso varia de acordo com o plano contratado.

Esse é outro ponto: no caso das empresas adquirentes são cobradas taxas de serviço. De acordo com a forma de pagamento escolhida pelo cliente, essas taxas variam. Podem transitar entre 3% a 6% do valor total da compra. Assim sendo, as tarifas mais altas são as das compras parceladas e as mais baixas as compras à vista.

Empresas Subadquirentes ou Intermediadoras

Enquanto as empresas adquirentes atuam de forma credenciadora, as empresa subadquirentes funcionam mais como uma intermediadora na transação. É por isso que são chamadas também de “intermediadoras” ou “facilitadoras”.

As empresas subadquirentes são plataformas completas para recebimento de pagamentos e dois ótimos e conhecidos exemplos dessas companhias são o PayPal e o Pagseguro.

Com essas empresas isso, o comerciante pode ter todos os serviços de pagamento (desde a transação, até um pacote anti-fraude, por exemplo), com uma simples contratação. Mas é claro que tem seus “poréns”:  ele deve pagar uma porcentagem de suas vendas para os subadquirentes e, claramente, as taxas são mais altas, já que o serviço é mais completo.

Gateways de pagamento

Para dar continuidade ao nosso artigo sobre como funciona um Gateway de pagamento, nada melhor do que falarmos sobre o próprio.

Os gateways de pagamento são uma tecnologia que faz a ponte entre o e-commerce e as instituições financeiras, em conjunto com as empresas adquirentes. Ele traz mais segurança e dispensa a integração direta da loja com a adquirente.

Resumindo de forma mais prática, quando o consumidor fornece os dados de compra na página de checkout de um e-commerce, o gateway transmite essas informações diretamente para os bancos ou adquirentes.

Ele também pode ser integrado a outras soluções dentro do seu e-commerce, como, por exemplo, serviços antifraudes.

O maior ponto positivo sobre como funciona um Gateway de pagamento é que ele facilita muito a vida do lojista online. Isso porque você terá todas as movimentações financeiras da sua loja em um simples painel de controle.

Além de tudo, implantar um gateway de pagamento é bastante fácil do que integrar o e-commerce diretamente com a empresa adquirente. Por essas e outras, esse é o sistema de pagamento mais utilizado e recomendando para e-commerces.

Entendendo as vantagens do Gateway de pagamento

Mesmo depois de explicarmos como funciona um Gateway de pagamento, você ainda tem dúvidas? Pois separamos aqui uma série de vantagens desse tipo de sistema.

Transferência direta:

Da maneira como funciona um Gateway de pagamento, os valores pagos são transferidos diretamente para a conta bancária da loja. A empresa poderá aprovar ou não cada transação e definir a forma de parcelamento.

Loja mais independente:

por meio do gateway, o lojista é super independente e tem poder de decisão, como dissemos no tópico acima. Isso quer dizer que ele é livre para se precaver como achar melhor. Essa é uma vantagem para quem sabe se cuidar, mas é necessário cautela: controlar fraudes e cuidar da segurança dos dados para manter-se seguro.

Mais Segurança:

para funcionar bem e com segurança, o Gateway precisa das certificações e autorizações específicas de operação. Uma dessas é a PCI Compliance, em que vamos aprofundar melhor abaixo. A segurança é fator imprescindível para um Gateway e muitas adquirentes só aceitam os gateways que estejam em conformidade com as normas.

Possibilidades reais de negociação:

com um Gateway de pagamento ativo, a sua loja pode negociar taxas e tarifas diretamente com as bandeiras de cartões e instituições financeiras. Quanto maior o volume de vendas, melhores as possibilidades de negociação.

Multi-adquirentes:

esta possibilidade dos gateways de pagamento é bastante interessante para que você consiga manter sua loja sempre ativa. Você pode trabalhar com mais de uma empresa adquirente ao mesmo tempo. Isso quer dizer que se, por algum motivo, alguma adquirente tenha algum problema, sua loja não fica sem vender. Citamos um exemplo a seguir para que você entenda melhor como funciona um gateway de pagamento com multi-adquirentes.Você pode contratar uma adquirente X e utilizá-la como a sua principal, e a adquirente Y, que ficará em segundo plano. Caso a X fique fora do ar, dê algum bug ou fique bloqueada, você passa automaticamente a utilizar a Y e não perde vendas por causa da instabilidade da empresa X.

Geração de Relatórios:

essa é de se esperar, mas não custa lembrar. A maioria dos gateways de pagamento fornece relatórios de vendas e painéis com resumos das principais informações que você precisa. Assim, fica muito mais fácil ter uma visão geral das sua vendas.

E desvantagens, o gateway de pagamento tem alguma?

É claro! Como toda ferramenta, tem seus pontos fortes e fracos, e cabe aos gestores da loja entender se compensa ou não utilizá-lo. As desvantagens de como funciona um gateway de pagamento são:

Gestão de risco: 

Como dissemos na lista de vantagens, a independência da loja pode ser uma vantagem para quem sabe administrar, mas também pode ser uma desvantagem para quem não quer lidar com gestão de risco. Os gateways não necessariamente filtram as transações (isso só acontece se você tiver um serviço antifraude ativo). Por isso, os lojistas precisam ficar de olho ao aprovar manualmente as transações.

Bandeiras e relações contratuais: 

No Brasil ainda existem algumas bandeiras  de cartões que são aceitas apenas por certas empresas adquirentes. Isso se deve a relações contratuais entre adquirentes e bandeiras. Para que sua loja aceite todas as bandeiras, é importante ficar atento a essas relações contratuais.

Prazo para pagamento: 

Nós falamos sobre isso lá no início. As adquirentes brasileiras levam cerca de 30 dias para realizar o pagamento das transações realizadas. Até existem possibilidades para você receber antes o valor das suas vendas, mas para isso são aplicadas taxas bastante “salgadas”.

Quais são os custos do gateway?

Falar muito precisamente em custos, em um breve artigo sobre como funciona um gateway de pagamento, não é uma tarefa nada simples. Isso por que cada gateway pode ser suas próprias características e, consequentemente, preços muito personalizados.

Abaixo, tentamos resumir alguns dos custos que os bancos e adquirentes colocarão em prática para que você utilize um gateway de pagamento:

Kick Off (ou taxa de implantação):

É uma taxa única, cobrada uma vez, para a instalação do dispositivo.

Anuidade ou mensalidade:

tarifa cobrada por ano ou por mês (de acordo com sua operadora), e tem relação com o volume de pagamentos

Taxa de transação:

Porcentagem cobrada em cada transação realizada

Retirada:

tarifa para retirada de valores para a conta bancária da loja (nem sempre é cobrada)

Estorno:

acontece quando, por algum erro ou devolução, é necessário devolver o dinheiro do cliente.

PCI Compliance e Segurança

Como falamos lá em cima, uma das grandes vantagens sobre como funciona um gateway de segurança é a obrigatoriedade da segurança. Um dos principais pontos a se observar ao contratar um gateway de segurança é a certificação PCI Compliance.

Esse certificado de segurança é essencial para garantir que as o seu provedor de pagamento está de acordo com as normas e procedimentos das empresas de cartões de crédito e débito.

Esse padrão de segurança é administrado pelo PCI Security Standards Council cujo conselho foi fundado pelas empresas: Visa Inc, MasterCard, American Express, Discover Financial Services e JCB International. Com nomes de peso como esses, é possível entender como segurança importa para conseguir o certificado, não é mesmo?

Além da certificação PCI Compliance, é importante observar outros pontos ao contratar um gateway de pagamento. Alguns desses pontos são as opções de integração, os recursos oferecidos pela empresa, a qualidade do suporte técnico (que deve atender 24h por dia, todos os dias, em multicanal e com ampla cobertura territorial) e como é realizado o checkout no carrinho de compras.

Para finalizar, ao escolher o seu gateway de pagamento, questione a compatibilidade com a sua plataforma digital, peça opiniões a conhecidos que já trabalhem com aquela empresa e busque saber mais sobre a reputação da mesma no mercado.

Deu para entender mais sobre como funciona um gateway de pagamento?

Finalizando, é importante lembrar que o gateway de pagamento  é aquele que faz a ponte entre vendedor, cliente e as instituições financeiras. Por isso, ele pode ser usado não apenas em e-commerce de produtos, mas também por quem oferece vendas de serviços, como cursos e treinamentos.

O pagamento certamente é uma das principais etapas nas vendas online, Por isso, ao planejar qualquer tipo de comércio eletrônico, não deixe para pensar na etapa do pagamento de forma secundária, pois ela pode ser fator determinante para a conclusão das suas vendas e principalmente para o sucesso financeiro do seu empreendimento.

Para atender melhor a demanda de pagamentos de um e-commerce com m-commerce, certamente o gateway de pagamento será uma das melhores opções com relação à praticidade, custos e benefícios.

Entendeu como funciona um gateway de pagamento e como ele pode ser um aliado da sua loja? Então repasse o que aprendeu aqui, compartilhando este post nas suas redes sociais e aproveite para seguir a MEGA no Facebook e Instagram!