Blog Megaleios

Saiba tudo que acontece no mundo da tecnologia

Novidades do mercado digital, atualizações importantes sobre desenvolvimento de aplicativos, soluções da web e muito mais! Aqui você fica sempre bem informado. Confira os últimos posts publicados no blog da Mega!

Avalie este post

Diariamente surgem inúmeras Startups pelo Brasil. Essas empresas, em fase de desenvolvimento, chegam para oferecer diversas soluções, produtos e serviços. Mas diante do surgimento de tantas startups, como se destacar no mercado, ou ainda, como criar uma startup rentável? Confira hoje no nosso Blog algumas dicas para a criação da sua startup!

O que significa o termo startup?

Antes de falarmos sobre o desenvolvimento de uma startup rentável, precisamos compreender o que significa esse termo que está cada vez mais comum.

O termo startup ganhou mais notabilidade nos últimos anos, mas ele surgiu no final da década de 1990. No mesmo período que as empresas começaram a descobrir a internet.

Basicamente, startup é uma empresa que foi recém-criada e está em sua fase de desenvolvimento.

Ou seja, uma pessoa ou um grupo tinham uma ideia muito boa e resolveram executá-la.

Segundo um grande empreendedor do Vale do Silício, Steve Blank, startups são:

“[…] sobre invenção, inovação e interação – de modelo de negócios, produtos, clientes, e por aí vai. Startups vão descobrindo o problema e a solução em tempo real […]”.

Podemos dizer então, que as startups são empresas na fase embrionária, buscando inovar no mercado.

Surgem de uma ideia criativa que vai ser desenvolvida com o intuito de gerar lucro para o negócio.

As características marcantes das startups são o baixo custo de manutenção e crescimento rápido dos lucros.

O grande desafio é que por serem empresas únicas, não dá para ter a certeza que o negócio vai dar certo e gerar lucro. Então, esse tipo de empresa pode gerar incertezas constantes.

Como criar uma startup?

A criação de uma startup percorre várias etapas.

É preciso conseguir investimento, funcionários e clientes para a sua nova ideia.

Além disso, você precisa pensar em um produto que faça diferença no mercado para que consiga vendê-lo.

Para te ajudar um pouco nesse processo, vamos conferir alguns caminhos que você pode seguir na hora de criar a sua startup.

  1. Partindo de uma ideia inovadora

Como comentamos no início do post, uma startup precisa estar inserida no contexto da inovação.

Você precisa pensar em algo único, que faça diferença no mercado.

Essa etapa pode levar muito tempo, porque você precisa pensar em todas as características. Além disso, é necessário avaliar os possíveis problemas e soluções.

Só assim você terá uma ideia mais madura e preparada pronta para fazer parte do mercado.

  1. Quem vai executar a ideia?

Depois de consolidar a sua ideia e definir os pontos principais, é preciso executá-la.

Você precisa concretizar a ideia a ponto de ser vendida para os investidores e possíveis consumidores.

Por isso, é importante conseguir funcionários ou sócios de qualidade.

Isso vai colaborar muito para o desenvolvimento da sua startup.

Depois de pensar nesses dois itens iniciais, você vai se perguntar: mas como tornar a minha startup rentável?

Existem várias dicas que podem te ajudar muito para criar a sua startup rentável. Separamos algumas delas para você!

Startup rentável

Assim como qualquer outro empreendimento, uma startup visará o lucro.

Então, não é só ter uma ideia boa.

É necessário pensar em como ela se tornará rentável.

O caminho para desenvolver uma startup rentável varia muito de acordo com o produto e o segmento que está atuando.

Porém, algumas dicas gerais podem ser bem úteis para o seu negócio.

Primeiro, você tem que ter em mente que não basta só lançar o produto. Há uma longa caminhada pela frente.

Depois de lançar a sua ideia, é preciso pensar em inovações no seu produto para que os clientes se mantenham interessados.

Outra dica é ser persistente. Mesmo com feedbacks negativos, se mantenha firme e flexível para não desistir da sua ideia.

É importante também reconhecer as limitações do seu produto e pensar em novas soluções para se manter no mercado.

E o mais importante em todos os processos é manter o foco! Somente com foco você alcançará o sucesso que deseja.

Fique por dentro das novidades do mercado tecnológico! É só assinar a nossa newsletter agora mesmo.

Caminho para uma startup rentável

Como já comentamos, toda startup começa por uma ideia nova de produto ou serviço.

Mas é preciso pensar em diversos aspectos para que a seja uma startup rentável.

  1. Conhecendo os consumidores

Um problema comum no desenvolvimento de uma startup é que grande parte dos negócios demora muito para aperfeiçoar um produto, sem nunca mostra-lo para os clientes em potencial.

No momento do lançamento, o produto acaba falhando em alcançar a aceitação do público.

É aí que entra o contato com o público-alvo para confirmar se há interesse ou não na sua ideia.

  1. Eliminando a incerteza

Outro ponto relevante para se pensar é que as startups são instituições humanas que criam produtos e serviços. E tem ainda o agravante da extrema incerteza do negócio.

Por isso, para eliminar a incerteza é essencial que seja criado um processo que organize a parte gerencial da startup.

Isso pode ser feito pode meio do uso de ferramentas que permitam que os empreendedores testam a viabilidade de seus projetos.

Startup rentável começa com um MVP

O principal elemento para você saber se a sua ideia é rentável é o desenvolvimento de um MVP.

O MVP (mínimo produto viável), é a primeira versão do seu produto. Com ele você saberá se ele está em condições de ser apresentado ao público.

O objetivo de apresentar a sua ideia antes de ter uma versão final é que ela tenha a validação do público desde o começo.

Características do MVP

Para entender melhor as características do MVP, vamos analisar os termos dessa expressão.

Minimum (mínimo): se refere ao tamanho, ao tempo ou aos recursos do MVP, que sempre devem ser os menores possíveis.

Viable (viável): que possua valor suficiente para atingir o público-alvo, e consequentemente, gerar interesse.

Product (produto): é o produto, serviço, marca ou empresa.

Agora que você já compreendeu exatamente o que essa expressão significa, confira quais são as características básicas do MVP.

É mais econômico financeiramente e com relação ao tempo;

Desperta o interesse do público com uma qualidade mínima;

Sempre parte de um planejamento estratégico;

Fornece um feedback cíclico, garantindo assim, o seu aperfeiçoamento.

Relação do MVP com as startups

O MVP não se aplica somente às startups.

Porém, podemos afirmar que esse conceito foi desenvolvido para ser aplicado nesse tipo de empresa.

As startups necessitam de agilidade, e com frequência, não possuem tantos recursos como uma grande empresa.

Por isso, o MVP pode ser muito viável para a realidade desse modelo de negócio.

Além de evitar desperdícios de recursos, o MVP fornece outro grande benefício para as startups: um feedback antecipado dos clientes. Esse feedback é muito importante para esse tipo de empresa, considerando que elas começam sem nenhum cliente.

Dessa forma, fica mais fácil para a empresa validar suas ideias no mercado, além de ter um menor risco.

Por esse motivo, se você busca o conceito de inovação no seu negócio, é importante conhecer bem esse conceito.

Afinal, adaptar-se às necessidades do mercado é uma das chaves para ter uma startup rentável.

Qual a utilidade do MVP?

A principal função do MVP é agilizar o lançamento da sua ideia. Mas com um diferencial: de uma maneira mais segura, com base no feedback do seu público-alvo.

Com ele, você descobre se a sua ideia era realmente boa, antes de investir muito dinheiro, tempo e recursos.

Afinal, quem nunca se empolgou com uma ideia nova, não é?

Talvez, agora você esteja se perguntando se o seu negócio realmente precisa de um MVP.

Esse questionamento é bem comum, porque muitos acreditam que esse conceito esteja vinculado às startups e empresas de base tecnológica. Mas ele não se limita a esse tipo de negócio!

Essa ferramenta pode te dar melhores resultados a partir da sua ideia, independentemente de qual seja o modelo de negócio.

  1. Pense em buscar um co-fundador com habilidade complementares

Para criar a sua startup rentável é imprescindível que você ao lado alguém que tenha pontos fortes capazes de equilibrar suas fraquezas.

Se isso não acontecer, pode ser que você gaste mais dinheiro do que devia.

Vamos imaginar que você é um desenvolvedor, mas não tem experiência nenhuma com marketing.

Para a divulgação da sua ideia, precisará de alguém que preencha essa lacuna de habilidades.

Ou ainda, se você não possui conhecimento técnico, é importante encontrar um co-fudador que consiga ser útil nessa área.

Enfim, é relevante você procurar algum profissional que tenha habilidades complementares as suas. Assim, a pessoa poderá administrar relacionamentos complementares aos seus.

  1. Avalie o modelo de negócios financiado pelo cliente

Existe um modelo de negócios que incentiva os seus consumidores a pagarem antecipadamente pelo produto. Isto é, esse investimento pode ser usado no financiamento do seu projeto.

Um exemplo é o modelo de serviço para produto.

Você é um contador, por exemplo, e pretende construir um software de contabilidade. Uma possibilidade é você oferecer seus serviços de contabilidade para financiar o desenvolvimento da sua plataforma.

Outro modelo de negócios é o de compra e venda de produtos.

Esse modelo, que é utilizado pelo Mercado Livre, reúne os compradores e os vendedores. Nesse caso, o comprador paga pelo produto, e só assim o vendedor é pago.

O modelo de assinatura também é um modelo financiado pelo cliente.

Os usuários acabam pagando adiantado para acessar o produto por meio de assinaturas.

  1. Domine pequenos mercados primeiramente

Um grande erro das startups é direcionar para um mercado mainstream muito no começo do ciclo de vida.

Isso não significa que você não possa ter uma visão global. Precisa observar melhor para perceber que grandes empresas bem-sucedidas começaram dominando segmentos de pequenos clientes.

Um exemplo bem significativo é o PayPal. A proposta foi iniciar com os usuários do eBay antes de dominar o mundo do e-commerce.

Essa estratégia pode te ajudar a testar o mercado e validar a sua ideia.

Pensando no caso do Uber. A empresa tentou aplicar o conceito de serviço de táxi on-demand em Boston, e falhou. Aquele mercado não estava preparado para entrar no carro de um estranho. Já em São Francisco, o público reagiu de uma forma bem mais receptiva.

Ou seja, essa estratégia pode ser eficaz para tornar sua startup rentável. É mais barato e mais fácil resolver um problema em um pequeno segmento de clientes.

Por isso, comece dominando os mercados menores, tendo um custo de aquisição menor. Assim, garantirá uma base de clientes com vida útil maior.

Você pode começar por um bairro e a partir disso, expandir.

Ao começar por comunidades menores você ainda tem um ambiente mais propício para o marketing orgânico. Você pode conquistar mais clientes com o marketing boca-a-boca.

Gostou do nosso conteúdo?

Fique por dentro dos nossos conteúdos para saber tudo sobre o mundo da tecnologia e dos aplicativos!